Entenda porque a patinação sobre rodas não é um esporte olímpico

Quem tem acompanhado as Olimpíadas pode ter sentido falta de um dos esportes mais expressivos quando o assunto é força, beleza e plasticidade: a patinação sobre rodas. Com milhares de praticantes e fãs em todo o mundo, essa modalidade, infelizmente, não é considerada olímpica.

Talitha Haas no Pan-americano de Toronto, 2015
Foto: Divulgação / Tudo & Todas
Talitha Haas no Pan-americano de Toronto, 2015

Quem tem acompanhado as Olimpíadas Rio 2016 pode ter sentido falta de um dos esportes mais expressivos quando o assunto é força, beleza e plasticidade: a patinação sobre rodas. Com milhares de praticantes e fãs em todo o mundo, essa modalidade, infelizmente, não é considerada olímpica.

Segundo o vice-presidente da Confederação Brasileira de Hóquei e Patinação (CBHP), Flávio Moreira, o principal motivo é o fato da patinação no gelo já integrar os Jogos Olímpicos de Inverno. Assim, a patinação sobre rodas é considerada uma variação do mesmo esporte.

Para exemplificar, é o mesmo que ocorre com a ausência do futsal nos Jogos, já que o futebol é considerado um esporte olímpico. Nesse contexto, uma rara exceção é o vôlei de praia.

Marcel Stürmer fou tetra-campeão em Jogos Pan-americanos
Foto: Divulgação / Tudo & Todas
Marcel Stürmer foi tetra-campeão em Jogos Pan-americanos

Além disso, Flávio explica que é necessário um grande lobby para que uma modalidade específica ingresse nas Olimpíadas. Foi o caso do golf, rúgbi e beisebol, últimos esportes a entrarem, todos com grande visibilidade, inclusive financeira.

Outros atores desse cenário também exercem influência. Os presidentes que assumem o Comitê Olímpico Internacional (COI) são importantes para o lobby pelos esportes. Flávio lembra que em 1992, nos Jogos de Barcelona, o presidente Samaranch conseguiu colocar o hóquei sobre patins como esporte de demonstração.

Ele era espanhol (catalão), nascido em Barcelona, ex-jogador, técnico e dirigente de hóquei.”

Mas é claro que os representantes da modalidade não estão conformados com a situação: segundo Flávio, desde sempre houve um movimento para a patinação ser olímpica, sendo que em 2009 a campanha se intensificou.

A Federação Internacional de Esportes de Rodas (FIRS), capitaneada pelo presidente Sabatino Aracu, assumiu a missão de tornar a modalidade olímpica, especialmente a patinação de velocidade.

>> Assista ao vídeo de candidatura às Olimpíadas:

No fim, acabou defendendo o skate, o qual teria mais probabilidade, e que inclusive já está confirmado para Tóquio. Caso Roma seja confirmada como a sede das Olimpíadas em 2024, novamente a candidatura da patinação pode ganhar força, já que a Itália tem grande tradição nesse esporte.

Vale lembrar que embora esteja fora das Olimpíadas, a patinação sobre rodas tem o seu lugar nos Jogos Pan-americanos desde 1979 – inclusive, atletas brasileiros como Janaína EspíndolaTalitha Haas e Marcel Stürmer já fizeram história na competição.

Flávio explica que, com exceção do Brasil, as confederações de patinação na América integram os Comitês Olímpicos Nacionais, o que faz com que a patinação tenha muita força no continente.

Sorte a nossa, que podemos prestigiar esse esporte incrível!

Fica a torcida, portanto, para termos a patinação sobre rodas também nas Olimpíadas.

 

Comentários

Comentários